Museu ArtScience

O Museu ArtScience em Marina Bay se assemelha a uma flor de lótus aberta ou a uma mão aberta. Dez “dedos” se elevam a partir da base, "segurando" o céu. A estrutura tem 21 espaços de galeria espalhados por mais de 4.600 m² de espaço de exposições.

No entanto, maravilhas arquitetônicas impressionantes constituem, muitas vezes, dificuldades de construção, pois usam formas incomuns unidas. Transformar essas visões deslumbrantes em estruturas permanentes não foi tarefa fácil, mas a Yongnam Engineering and Construction estava à altura da tarefa. A Yongnam é uma empresa de engenharia com sede em Cingapura, e foi responsável pelo detalhamento e pela fabricação do esqueleto de aço do Museu ArtScience.

Os arquitetos apresentaram à Yongnam um modelo semitransparente (wireframe), bem como o modelo 3D. Com isso, os projetistas da Yongnam redesenharam tudo no software Tekla BIM para produzir os respectivos desenhos de oficina para cada parte do museu. Então, esses desenhos de oficina seriam usados para fabricar as estruturas de aço necessárias para o design incomum do museu.

Detalhar e fabricar as estruturas curvas dificultaram o design. “O museu é uma estrutura complicada, e os membros de aço tinham geometrias diferentes,” observou Arnold C. Hipólito, Gerente Adjunto de Engenharia da Yongnam.

É necessário conhecer as coordenadas para obter a geometria correta de todos os membros.” Errar a geometria significaria que as peças não se encaixariam. A necessidade de precisão fez com que o software da Tekla fosse uma ferramenta fundamental para a Yongnam.

Os detalhistas usaram o Tekla para produzir os desenhos de detalhamento que foram enviados ao consultor para aprovação. Após a aprovação, os desenhos de fabricação detalhados foram enviados à fábrica da Yongnam. Ao todo, a Yongnam produziu aproximadamente 5.000 peças de aço e seus respectivos desenhos de detalhamento. Além dos desenhos de fabricação, a Yongnam também usou o software Tekla BIM para criar desenhos de montagem e demais desenhos de orientação para que as diferentes peças pudessem ser encaixadas no local.

A Tekla desempenhou um papel importante na redução do tempo necessário para modelar a estrutura do Museu ArtScience”, afirmou Hipólito. “Como a estrutura é muito complexa, se não tivéssemos a Tekla, os desenhos teriam demorado cinco vezes mais.

Todo o processo de projetar e fabricar as peças de aço para o Museu ArtScience levou aproximadamente dois anos. O museu acabou sendo inaugurado em fevereiro de 2011 e se tornou uma grande atração graças à sua arquitetura deslumbrante e às exposições inovadoras que ela realiza.